10 set

Auxiliar seu filho a construir uma carreira profissional

Auxiliar seu filho a construir uma carreira profissional

Carreira profissional, não é dificil auxiliar um filho a começar a construi-la.

  1. Não impor a nossa vontade
  2. Estar atento no futuro, pensando fora da caixa
  3. Conhecer o final do processo desde o começo

Vamos discutir estas e outras ações que têm influência direta no sucesso da carreira profissional de nossos filhos.

Primeiro de tudo quero apresentar a minha situação: Tenho 3 filhos e um neto já adolescente, consequentemente, no que diz respeito a carreira profissional deles, posso dizer que já errei muito, acertei outras vezes o que me levou a aprender o suficiente para expor de forma empírica as minhas ideias.

Claro que o que aqui apresentarei, por se tratar de observações feitas ao longo da minha vida, não pode ser tomada como verdade absoluta ou do modelo a ser seguido, pela razão que pessoas, épocas e cenários são bem diferentes, mas provavelmente servem como ponto de partida e sugestão.

Assim como a maioria dos pais, “sonhei” com carreiras para meus filhos. Carreiras que trouxessem prosperidade e satisfação pessoal, se possível com alguma projeção social, consequentemente, sem saber, estava cometendo o meu primeiro erro, afinal, além de ainda estarem se formando no ventre materno, esta é uma decisão deles e não minha.

Primeiramente, é importante que tenhamos uma rápida visão das influencias que uma criança pode receber, lembrando que não estou fundamentando cientificamente, apenas por noções de senso comum.

Ações que marcam a carreira profissional no futuro

Quantos de nós não ouviu este tipo de frase na infância?

  1. Você não faz nada direito
  2. Você nunca vai conseguir ser ninguém.
  3. O mundo é perigoso
  4. Com estes cabelos despenteados nunca conseguirá um namorado…
  5. Se comer muito vai ficar gordo, só os magros têm sucesso
  6. Os ricos são mais felizes…. e, tantas outras semelhantes

São afirmações aparentemente sem importância, principalmente por serem ditas no calor de uma “bronca construtiva”, mas que têm como resultado a fixação de “crenças limitantes”, principalmente se estes fatos ocorrerem antes dos 8 anos de idade, período em que o neocórtex, a parte do cérebro que permite usar a razão e a lógica, não está, ainda, totalmente desenvolvido.

Frases semelhantes as apresentadas acima, geram crenças limitantes que são verdadeiros comandos para o nosso cérebro.

  • “não tenho dinheiro para nada”;
  • “Só é possível ganhar muito dinheiro fazendo coisas erradas”;
  • “Não tenho tempo para nada”;
  • “Não sou bom o suficiente”;
  • “Não sei tudo o que preciso”;
  • “Não consigo aprender isso”;
  • “Nunca vou conseguir alcançar meus objetivos ou realizar meus sonhos”;
  • “Tudo precisa ser perfeito”;
  • “Eu não mereço sucesso ou coisas boas”;
  • “Eu não posso / não consigo / não sei fazer isso”;
  • “Sou muito velho para isso”;
  • “É melhor dar do que receber”;
  • “Os outros precisam mudar para minha vida melhorar”;
  • “Estou destinado a essa vida e a ser desse jeito porque essa é a situação da minha família e por isso, é a minha”;
  • “O mundo está em crise, e por isso tudo está muito difícil para mim”;
  • “Não é possível viver do que se ama”

Cuidado com as palavras, não se esqueça que:

Pensamento gera Sentimentos que geram Ações que geram Resultados

DICA:

Observe todas as características da criança e relacione aquilo que ela faz de melhor

Reforce para ela estes aspectos e guarde estes dados que servirão em um futuro próximo

Propósito de Vida

O primeiro erro que, nós pais, fazemos é o de projetar a carreira profissional do filho conforme o nosso entendimento e visão, porém sem levar em conta as suas habilidades, desejos, características, etc. Este tipo de atitude tem como resultado um profissional inseguro, infeliz e que, caso não faça uma mudança na carreira profissional, viverá sempre fazendo aquilo que não gosta e que não lhe traz felicidade.

Não escolha a carreira profissional do seu filho, apenas oriente-o. Não se esqueça que quem não tem felicidade no trabalho, não tem felicidade na vida. A vida pessoal e profissional, hoje, se fundem. Este pequeno artigo tem como objetivo dar a você, as primeiras dicas para esta tarefa.

A primeira grande descoberta

A maioria das pessoas não tem a mínima ideia do que vieram fazer neste mundo e passam toda a vida sem se perguntar ou perceber que existe um propósito para a vida.

Vêm e vão sem deixar um legado. Podemos até pensar que apenas existiram durante um certo tempo sem nada acrescentar. Sei que não é isso que queremos para nossos filhos. O importante é que descubram o seu propósito e que tenham uma vida profissional relacionada a ele o que certamente fará com que tenham sucesso, felicidade e que deixem sua boa marca por onde passarem.

Em determinada oportunidade eu mesmo me perguntei: desconheço meu próprio propósito, como posso conhecer os dos meus filhos?

Com o tempo aprendi que o autoconhecimento é a porteira de entrada para muitas descobertas, entre elas, o Propósito de Vida.

Com o autoconhecimento teremos ferramentas para descobrir qual o nosso propósito de vida e através dele chegarmos finalmente ao conhecimento do que nos motiva a levantar todas as manhas com alegria e determinação. É por meio desse processo que conseguimos enxergar a nós mesmos, a nos educar, a desenvolver a autoaceitação e a se abrir para o novo, isto é, aprender sempre coisas novas.

Mas, como o assunto aqui não somos nós, mas nossos filhos, parece que a pergunta permanece: qual o Propósito de Vida de meu filho?

Minha resposta é: observe!

Observe o que ele mais gosta de fazer, de brincar, quais assuntos que o atraem, o que fazem seus olhos brilharem. Pode até ser o que para nós é apenas uma brincadeira, mas é ela que nos trará pistas para nossa tarefa.

Neste momento cabe a nós promover as oportunidades e observar e, na medida do possível começar a ensinar aos filhos o que é e como desenvolver o autoconhecimento. Existem maneiras lúdicas para isso.

Dica

Precisamos abrir mão de querer que nossas carências sejam supridas através dos nossos filhos.

Olhar para o Futuro

Eu tinha um colega de classe cujo pai era tipógrafo e sonhava que o filho fosse linotipista. Uma função pouco superior a sua no jornal em que trabalhava.

Quando fazia plantões, costumava levar o filho ao jornal e passava um tempo mostrando ao filho as vantagens de ser linotipista, afinal o salário inicial era maior que o dele já um quase veterano.

Meu amigo costumava dizer que quando crescesse seria linotipista e ficaria rico. Hoje percebo que não gostava desta profissão. Ele “vibrava” quando vinha em minha casa e eu estava montando ou desmontando rádios velhos. Talvez sonhasse em ser engenheiro, mas na verdade queria agradar ao pai e se tornar o que ele não conseguira ser: um linotipista.

Talvez você seja muito mais jovem que eu e está se perguntando: afinal o que é um linotipista? Veja uma matéria interessante sobre esta quase extinta profissão.

A vida é tão dinâmica que nos torna eternos aprendizes. O que hoje é absoluto, amanhã poderá ser obsoleto.

A formação da uma carreira profissional deve levar em conta que estamos numa mudança muito grande na área do trabalho.

Hoje falamos em trabalho remoto, o que era improvável na minha juventude. Lembrando que as relações trabalhistas e verdadeiro objeto do trabalho que está migrando para novas perspectivas.

A Inteligência Artificial vem ocupando espaços em todas as áreas. Em breve teremos robôs construindo máquinas e executando tarefas que hoje são de nossa responsabilidade.

Como será o mercado de trabalho no futuro próximo?

Na minha opinião estes robôs serão programados a encontrarem soluções a partir de um imenso banco de dados, isto é, irão se auto aperfeiçoar a cada operação, mas dificilmente exercitarão a arte de pensar e ter consciência das coisas, portanto aprender a pensar é fundamental.

Ensinar a pensar

Estamos nos acostumando a não refletir sobre diversos assuntos. Parece que estamos legando esta tarefa aos diversos agentes externos que agem sobre nós.

Decora-se em lugar de deduzir.

Os currículos escolares não contemplam mais o estudo da Filosofia. Segundo Pitágoras, Filodofia é o amor pela sabedoria, experimentado apenas pelo ser humano consciente de sua própria ignorância.

Estamos sendo levados a apenas enxergar para fora de nós, como o sucesso, a prosperidade, a fama e etc. Agimos como se tudo isso fosse muito distante, quase impossível de ser alcançado, o que nos faz esquecer de olhar para dentro de nossas próprias vidas. Este comportamento não é somente nossa culpa, pois desde a infância aprendemos tudo sobre o mundo externo (história, geografia, etc.), mas quase nunca nos é ensinado como viver com nosso mundo interno, como nossas emoções, receios, sonhos, etc.

Nunca aprendi na escola ou fui estimulado a refletir o que me motivava, quais eram meus talentos, como liberar meu potencial e muito menos a lidar com meus receios e emoções. Aprendemos a viver no mundo externo, mas não a viver nossa potencialidade interna, o que sempre nos leva a preocupar mais com o que os outros pensam de nós do que pensamos sobre nós mesmos.

Desaprendemos a estar consciente de quem somos na essência, descobrindo o mais profundo e verdadeiro EU, identificando nossas características principais que moldam os nossos comportamentos, forma de agir e reagir, consequentemente entender em como obtemos nossos resultados, o que é essencial para que consigamos desenvolver a nossa carreira profissional de forma consciente e planejada.

Temos que suprir esta deficiência, desafiando e estimulando o raciocínio de nossos filhos, fazendo com que tenham a habilidade de viver no momento presente para construir o seu próprio futuro.

Concluindo

Nós pais temos, em determinado momento de nossa vida, a sensação equivocada que nossos filhos estarão sempre sob nossa supervisão.

Não é isto o que acontece, todos sabemos.

Cabe a nós passar a eles a direção a ser tomada, mostrar onde fica o “Norte”. Deixando que eles, utilizem suas bússolas e mapas para encontrar o melhor caminho.  O importante, repito, é que saibam onde querem chegar, senão qualquer coisa serve….. serve para não ser feliz.

O segredo está na bússola e no mapa. A bússola que vai indicar o “Norte” que identificamos juntos, baseado nas observações que fizemos. O “Mapa” é onde estão anotados os valores que deixamos pelo nosso exemplo e orientação. Este mapa, não mostra os atalhos, apenas os caminhos seguros e os que são perigosos.

Com estes cuidados,  tenho certeza que nossos filhos terão sucesso na carreira profissional escolhida por eles mesmos, sob nossa orientação, presente e segura.

Loading Facebook Comments ...

Leave A Reply