25 nov

É possível encontrar felicidade no trabalho?

A falta de felicidade no ambiente profissional parece ser um sentimento generalizado, tanto que grandes organizações estão investindo muito nesta área, pois sabem que ela é a porta de entrada para a retenção de talentos, aumento de produtividade e comprometimento com os objetivos estratégicos traçados.

De um modo geral, para atingir estes objetivos, as empresas buscam aprimorar a Inteligência Emocional de seus colaboradores além de iniciá-los na Prática do Mindfulness ou Atenção Plena. Este modelo teve início em uma das gigantes do Vale do Silício e pelo sucesso alcançado multiplicou-se por muitas outras ao redor do mundo.

Pela simplicidade, muitos são céticos quanto aos resultados, alguns creditam o sucesso como sendo um modismo, mas é um método com embasamento nos estudos da neurociência e aprimorado por práticas milenares, portanto se você não crê em sua eficácia como eu também não acreditava, desafio você a experimentar por dois meses, apenas dois meses.

Trata-se de um programa bastante simples e tanto em empresas quanto em processos de Coaching de Felicidade abordamos três passos muito importantes.

Primeiro Passo: Acalme a sua Mente

Acalmar a mente requer treino e a prática começa com exercícios de respiração, que você pode fazer no próprio ambiente de trabalho quando necessitar. Um estudo de Jon Kabat-Zinn, da Universidade de Massachusetts demonstrou que este exercício diminui a ansiedade e acalma a mente em situações de estresse.

Para aplicar este método estudei mais de 200 publicações cientificas (estão a disposição) e percebi que também podem ajudar no tratamento da depressão, ansiedade, estresse e até retardar os efeitos do envelhecimento, como apresentado em um estudo da UCLA nos EUA, o que demonstra que o assunto é bastante pesquisado.

Treinar a atenção na sua respiração exige o comprometimento de um exercício diário de aproximadamente 30 minutos e que pode ser feito antes mesmo de levantar-se. Quando necessário pode-se utilizar a técnica em rápidos exercícios de 2 ou 3 minutos no próprio ambiente de trabalho, e os resultados são surpreendentes.

Com a mente calma, você terá uma grata surpresa do quanto conseguirá produzir e com que facilidade a solução dos problemas vêm à sua mente.

A prática em si não traz a felicidade, porém você conseguir ter domínio sobre as suas preocupações já é um bom avanço.

Segundo Passo: Esteja atento aos momentos de alegria

Parece que vivemos com nosso piloto automático ligado todo o tempo e não prestamos a atenção em pequenos momentos que nos trazem alegria e felicidade. Momentos estes que vão desde tomar um café delicioso, ouvir aquela música que nos traz tantas recordações alegres, até finalmente conseguir comprar aquele bem que tanto queríamos. Nosso dia é repleto de pequenos momentos de alegria que não prestamos atenção, porém temos o péssimo costume de ficar remoendo as coisas negativas, relembrar apenas o que não foi tão bom, o que nos faz permanecer em um estado de infelicidade quase que constante.

Muitas vezes, antes de deitarmos rememoramos nosso dia e apenas lembramos dos momentos ruins, colocando os bons no departamento dos itens esquecidos ou não observados.

O dia em que estivermos atentos na beleza e alegria das coisas simples, nossos dias serão mais coloridos. O segredo é valorizar o positivo e não dar atenção desnecessária ao negativo.

Um estudo publicado no Journal of Clinical Psychology, volume 62 de outubro de 2006, mostra que pessoas que fizeram um diário, durante 2 meses, anotando seus momentos alegres ou que trouxeram satisfação, mudaram o seu comportamento a vida mais alegre e otimista, fazendo-a mais fácil de ser vivida.

Os momentos de alegria e satisfação estão sempre presentes, mas parece que nos condicionamos a não prestar a devida atenção a eles, apenas naqueles que não são tão bons.

Terceiro Passo: Desejar que os outros também sejam felizes

Os pensamentos altruístas trazem felicidade ao nosso inconsciente, mesmo que estejamos acostumados a nos alimentar apenas dos fatos negativos. De um modo geral, pode parecer estranho, mas o ser humano tem mais prazer em dar do que em receber.

A bondade é uma fonte sustentável de felicidade.

Quando nos acostumarmos que “Compaixão”, “Perdão” e “Gratidão” devem fazer parte do nosso comportamento pessoal e profissional, tudo ficará mais fácil para nós mesmos. Temos o costume de nos incomodarmos em demasia com fatos e situações que nada mais podemos fazer, apenas nos envenenar com elas, trazendo-as novamente ao pensamento.

Desejar o melhor às pessoas faz parte de estudos de vários psicólogos e pesquisadores, entre eles Daniel Haybron, Michael Argyle e Fredrickson que afirmam em suas pesquisas que a prática de desejar o bem às outras pessoas modifica a nossa própria vida, aliás, este tema já foi sugerido há séculos: Amar ao próximo quanto a si mesmo….

 

Nenhum destes passos individualmente nos leva à felicidade, mas com os três em conjunto conseguiremos antevê-la e mudar nossos comportamentos perniciosos, afinal ninguém merece passar a maior parte de sua vida, em um ambiente profissional que não lhe traga prazer e satisfação.

Não reclame de seu trabalho, comece mudando a si mesmo que tudo ficará melhor, neste ou em outro ambiente profissional.

Loading Facebook Comments ...

    Comments

  1. Nando
    novembro 26, 2015

    Parabéns, o tema abordado é algo de suma importância.
    Abraços.

  2. junho 7, 2016

    Gostei muito do texto, principalmente na parte sobre se concentrar em algo que gosta de fazer pra atingir seu flow. Ha alguns meses atras trabalhava em algo que nao me fazia feliz, mas sabia que precisava passar por aquilo pra atingir meus objetivos. Tive a felicidade de ser nomeada esse ano num concurso, e realmente nao tem preco qnd vc faz o que realmente gosta. Ate minha pele melhorou!! hehehe. Obrigada pelo texto e pelo brilhante trabalho.

Leave A Reply