18 out

Comportamento Profissional

Você concorda ou não com esta afirmativa? O Comportamento Profissional tem mais influência na carreira do que o conhecimento técnico.

Antes de dar a minha resposta quero compartilhar um acontecimento que presenciei e que talvez possa justificar o que penso sobre este tema.

Há mais de uma década faço parte do quadro de professores do IBMEC Campinas e ainda mantenho contato com a maioria dos alunos desde as primeiras turmas em que lecionei. Muitos tornaram-se meus coachees, mas a maioria mudou o status de alunos para amigos, e como tal, com bastante frequência nos encontramos para um Chopp, um café ou mesmo para um bom bate papo.

Recentemente, aproveitando a presença no Brasil de 3 colegas que estão trabalhando no exterior, os alunos de uma turma que concluiu o curso há pouco mais de 8 anos, resolveram reunir o grupo em um restaurante da cidade e tive o prazer de ser convidado e atender a solicitação de fazer uma mini palestra a eles.

Terminada a parte mais formal da reunião, passamos àquela em que, aparentemente todos voltam ao comportamento acadêmico, muitas brincadeiras, muitos apelidos revelados além dos fatos que, nós professores, desconhecíamos na época. Achei ótima a naturalidade com que revelaram meu apelido na turma. Realmente foi um encontro muito bom.

Em dado momento fiquei observando um a um, o jeitão deles, suas características atuais que comparei com as daquela época e procurei analisar o quanto de sucesso profissional estavam alcançando. Para um Coach com algum tempo de atividade isto passa a ser natural, faz parte do trabalho.

Dividi mentalmente o grupo em três subgrupos: os que permaneciam em um nível aproximado ao que tinham logo após o curso, o segundo grupo era formado por aqueles que tiveram uma boa melhoria e o terceiro, aqueles que alçaram patamares significativos, estes realmente estavam tendo sucesso em suas carreiras.

Como a minha disciplina para aquela turma foi uma abordagem do aspecto comportamental com ênfase nas soft skills, eu tinha uma visão privilegiada de cada um.

Todos, sem exceção, que foram classificados no terceiro grupo, isto é, que obtiveram sucesso significativo em suas carreiras, que exerciam cargos executivos em suas empresas e financeiramente aparentavam estar bastante confortáveis, foram aqueles que durante o curso apresentaram grande preocupação com suas competências comportamentais. Imagino que todos tenham feito exercícios de autoconhecimento e analisado os gaps na relação dos soft skills essenciais e, o que é mais importante, tiveram interesse e comprometimento em desenvolver cada um deles.

Após esta rápida observação do grupo, lembrei que quase todos, ao terminarem o curso apresentavam um nível semelhante em seus conhecimentos técnicos. Terminaram a pós-graduação equiparados nas competências técnicas, o que era fácil de ser observado, pois todos atuavam na mesma área profissional. Todos eram profissionais de TI.

Uma simples reunião de ex-alunos, como muita brincadeira e alegria pelo reencontro, foi suficiente para demonstrar que as competências comportamentais têm peso significativo no desempenho profissional do indivíduo, tanto que um dos presentes disse ao grupo que para ele, a minha disciplina foi a mais importante do curso e informou também que outros colegas de trabalho que tinham estudado em outras instituições ,também haviam percebido que as disciplinas de desenvolvimento comportamental tinham sido muito importantes para suas carreiras. Disse ainda que se tivesse de dar um conselho aos que iniciam a vida profissional, seria o de ter atenção nas suas competências comportamentais, pois foram elas que serviram de degraus para que ele, em pouco mais de 8 anos, chegasse onde tinha chegado.

Creio que a narração do que houve neste evento, possa responder a pergunta feita lá no início: Atualmente, o grande diferencial dos profissionais são suas competências comportamentais, são elas que determinam a alta empregabilidade e um crescimento continuo em suas carreiras

Loading Facebook Comments ...

Leave A Reply